terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Poema do Verso da Folha | Evaldo Brasil | Esperança/PB

Aqui se vê o poema e onde se pode ler
(Porque o papel e o lápis estiveram aqui)

Não me vem o verso que me veio ontem
Nem sequer aquele que me veio hoje
Estão longe, num neurônio natimorto
Queimados com ele – cerveja e vinho
Mas um papel e um lápis estão aqui…

Não vejo aqui quem me vem chegando
Nem sequer o olhar que me critica em flerte
Estão bem perto, num neurônio prematuro
Guardados com sabor e expectativa – venha!
Mas uma folha e o lápis estão aqui…

Enfim, vem versimagem dagorapouco
Sequer espero final perfeito – começo
Do nascimento de um neurônio normal
Gravado em grafite e celulose – veio!
Porque uma folha e uma taça estão aqui.

Evaldo Pedro da Costa Brasil
(Em 06 de agosto de 1994)
Leia também a postagem No Verso da Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nossa história agradece as suas colaborações. Continue participando deste trabalho colaborativo.

Capas | Escrituras Sagradas | ELCV*

SD........................................... ... SD Peleja de *Egídio Lima com Clidenor Varela, sendo o primeiro esperancense, publicados s...