Mostrando postagens com marcador Poema. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poema. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Poema | C49-220 De frente pra trás e de trás pra frente | Cordel

2021........................................

(Uma tragédia anunciada)

...
08ABR Voltando ao tema do ano passado sem citar certas palavras. Bebendo nas fontes que nos animam, a ciência que tenta evitar o pior e esperança, que nos aponta pra frente!
AUTOR&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

sábado, 27 de março de 2021

Poema | C49-219 A tragédia do Sítio Velho | Cordel

2021........................................

(Depois de Rau Ferreira, seguindo José Américo)

...
27MAR Um fato contado e recontado, aqui versejado, de uma ocorrência numa comunidade que até o nome mudou.
AUTOR&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

sábado, 6 de março de 2021

Poema | C49-218 O Rosário do Povo Criacionista (X) | Cordel

2021........................................

Registros de 1995, por Pedro Dias

...
06MAR Pra quem não queria começar o ano na temática da pandemia, Pedro Dias resgatou o mote de seus alfarrábios.
AUTOR&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Poema | A Porca | Cordel

1969.........................................
...
MAR69 Relato de personagem da trama tratado em versos pelo poeta...
AUTOR: Pedro Dias. TRATO: Evaldo Brasil.
.................................................
...
MAR69 ... Dando conta do que virou folclore em Esperança.
AUTOR: Pedro Dias. TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Poema | C49-217 Pelo Menos é Nisso que eu Creio (3) | Cordel

2020........................................

Prisão

...
20OUT Terceiro poema de um longo ciclo, com mesmo título, partindo das orientações espíritas quanto a Terra ser planeta Escola, Hospital e Prisão.
TEXTO&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

LEIA TAMBÉM:

....................................................
Veja abaixo Link para leitura virtual:

CAPA.......................................


domingo, 11 de outubro de 2020

Capas | Campina Grande | VBN*

SD............................................
...
SD A *Viola e as Belezas do Nordeste, do esperancense Toinho da Mulatinha, cordelista irmão do repentista Dedé, que também carregou a comunidade onde vivera a infância como sobrenome.
FONTE: Paraíba Criativa. TRATO: Evaldo Brasil.


domingo, 30 de agosto de 2020

Capas | 33 Canções, Preces e Heresias | HFCL*

2015......................................
...
SD Seleção de poemas planejando o livro virtual, exercício de capa em .doc... 
AUTOR&CAPA: Evaldo Pedro da Costa Brasil. 
2017......................................
...
SD ...Ajustado para inserção no Amazon.com. As preces e canções admitidas...
AUTOR&CAPA: Evaldo Pedro da Costa Brasil. 
2018......................................
...
SD ...Mas as *heresias ficam por conta da interpretação do leitor. Aqui, ajustado dentre as opções oferecidas pela Amazon.com.
FONTE: Amazon.com. AUTOR: Evaldo Pedro da Costa Brasil. 

domingo, 26 de julho de 2020

Capas | O Ser Agora em A | EOS*

2013.........................................
...
SD Capa gerada no limite do arquivo em .doc. Título original dos manuscritos, acabou sendo usado para a coletânea, reunindo ele *e outros sonetos.
ARTE-FINALIZAÇÃO: Evaldo Brasil.
2017.........................................
...
SD Novo tratamento para um impresso de teste...
ARTE-FINALIZAÇÃO: Evaldo Brasil.
2018.........................................
...
SD ... Que passou a ser disponibilizado virtualmente.
FONTE: Amazon. ARTE-FINALIZAÇÃO: Evaldo Brasil.

terça-feira, 14 de julho de 2020

Poema | C49-215 De como a Pandemia democratiza a Beleza | Cordel

2020......................................
...
14JUL E o tema não sai da moda e, pra falar dele sem se afetar, mais uma reflexão livre, leve e solta.
TEXTO&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Poema | C49-210 Do Avanço Retomado em Tempos de Pandemia | Cordel

2020
...

14MAI Segunda reflexão neste momento de pandemia, chamamos a responsabilidade quem sobreviver a ela.
TEXTO&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.

domingo, 5 de janeiro de 2020

Poema | Há muitas moradas na casa de meu Pai | Cordel

2020......................................
...
(D’O Evangelho segundo o Espiritismo)

CAPÍTULO 1º 
“EU NÃO VIM DESTRUIR A LEI” 

Eu não vim destruir a lei 
Moisés, Cristo e Espiritismo 
Os mandamentos prescritos 
Divinos e sem bairrismo 
Por Jesus, relembrados 
Por nós, aprofundados 
Superando misticismo. 

Aliando duas forças 
Ciência e Religião 
Anuncia Nova Era 
Através de Instrução 
Acendendo sua luz 
Irmãos unidos a Jesus 
Pra chegar ao coração. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E manda de vez em quando 
Ensinamento mostrando 
Um maior nível moral. 

CAPÍTULO 2º 
“MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO” 

Meu reino não é deste mundo 
Jesus pôde então relatar 
Perante o que lava as mãos 
Diante do que se dá 
Explica a vida futura 
Pra se evitar amargura 
Pro espírito se melhorar 

A realeza de Jesus, pois 
É conquista evolutiva 
O ponto de vista então 
Dá nova perspectiva 
Para o que não se advinha 
Na instrução da rainha 
No caso em narrativa... 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
O de baixo foi pra cima 
E nesse caso nos ensina 
A importância da moral. 

CAPÍTULO 3º 
“HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI” 
Resumo do ensino de Espíritos superiores 

Há muitas moradas 
Na casa do Pai, afirma 
Jesus no Evangelho 
E compromisso firma 
Que vai preparar lugar 
Pra depois compartilhar 
E o Espiritismo confirma: 

DIFERENTES ESTADOS DA ALMA 

A casa do Pai é o universo 
De planetas povoado 
De estrelas pra alimenta-los 
Cada um condicionado 
Com matéria apropriada 
Psicosfera esmerada 
Pro espírito adequado. 

E ainda pode ser o íntimo 
Do espírito povoado 
Do sublime ao ínfimo 
Por assim condicionado: 
Apego a toda matéria 
Ou em direção etérea 
Sem lugar localizado. 

MOTE 
Mas Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Causa primária de tudo 
Não nos deixaria mudo 
Diante do Universal. 

DIFERENTES CATEGORIAS DE MUNDOS HABITADOS 

Nos ensinam os espíritos 
Dos níveis de cada orbe 
Desde o inferior ao nosso 
Àqueles bem mais nobres 
Onde rico materialmente 
Em oposto ao moralmente 
Acaba sendo mais pobre... 

12 
Nos primitivos a matéria 
Reina e gera sentimento 
De apego e sem partilha 
Provocando o sofrimento 
E com este se aprende 
Quando (o) teimoso se rende 
Do contrário é só lamento. 

13 
E soberanas paixões 
Predominam sobre o amor 
A moral é quase nula 
Sendo pouco seu valor 
Enquanto no adiantado 
O menos materializado 
Se adianta em seu favor. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Sendo todos suas crias 
O infinito é que nos guia 
No princípio, tudo igual. 

15 
Num mundo intermediário 
Conflitam o bem e o mal 
Este parece ganhar 
Numa luta desigual 
Nos mundos inferiores 
Onde se sofre horrores 
Só há o germe da moral 

16 
Começamos todos lá 
E depois de muito esforço 
Saímos do Primitivo... 
Imaginem o alvoroço! 
De Provas e Expiação 
É esse nosso rincão 
Para aulas de reforço! 

17 
Mas predomina o mal 
Que é ausência do bem 
Cabendo a gente ser sal 
Da Terra e, por alguém! 
Só assim, diz a razão, 
Convivendo como irmão 
Podemos ir muito além. 

18 
Alcançar novos estágios 
Mundo de Regeneração 
Pra tomar um deforete 
Pausa pra respiração 
O mal já não predomina 
O bem será nossa sina 
A cada nova missão. 

19 
Daí ao mundo Ditoso 
Onde o bem supera o mal 
Ao Celeste ou Divinos 
Onde reina o bem e tal 
Como os do passado 
Mal pode ser imaginado 
Num exercício mental... 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
São estados relativos 
Por inúmeros motivos 
Passo a passo por degrau. 

21 
Por elas não se fica sempre 
Em cada Casa viveremos 
A cada avanço moral 
Nova Casa habitaremos 
E se teimamos no mal 
Tomamos água de sal 
E assim nos castiguemos: 

22 
Demoramos por aqui 
Nesse estágio de sofrer 
Se se estagna na vida 
Não se querendo crescer 
E se no mal se compraz 
A regra é clara, rapaz! 
Nessa escala vai descer. 

...

23 
A um mundo Primitivo 
Sei que não queres voltar 
Permanecer por aqui 
Talvez não possa ficar 
A Lei do Progresso diz 
Nosso destino é Feliz 
Vamos nos aprimorar?! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Não se pode estagnar 
Só precisamos trabalhar 
Até o degredo é racional. 

DESTINAÇÃO DA TERRA 
CAUSAS DAS MISÉRIAS HUMANAS 

A destinação da Terra 
É parte do planejado 
A destinação da alma 
Está no bem conquistado 
Não se pode ver direito 
Se se prende, com efeito 
A ponto de vista limitado 

26 
A humanidade é maior 
Que se possa imaginar 
Encarnado é um tiquinho 
Da quantidade que há 
Aqui estão mais doentes 
Um tanto de adolescentes 
Tentando se melhorar. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E para ser melhorados 
Nessa escola aprovados 
Trata todos por igual. 

28 
Aqui é modesta vila 
Perante grande cidade 
Uma escolinha de base 
Pra gente de pouca idade 
Um hospital preparado 
Pra quem está adoentado 
Alcançar a sanidade. 

29 
Aqui é modesta escala 
Para a progressividade 
De onde todos sairemos 
Conforme a maturidade 
Enfermidade moral 
Já não será nosso mal 
Vamos para a claridade!? 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
A gente é extraterrestre 
Pelo que ensinou o Mestre 
O Espírito é universal. 

INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS 
(MUNDOS SUPERIORES E MUNDOS INFERIORES) 

Numa escala relativa 
Feita por comparação 
Um mundo é inferior 
Conforme sua progressão 
Nada sendo absoluto 
Mais ou menos resoluto 
Pelo grau de perfeição 

32 
A nossa casa, a Terra 
Tendo-a por comparação 
Imaginemos um mundo 
Primitivo em situação 
De barbaridade intensa 
Selvageria em regência 
Muita procrastinação... 

33 
Por certo não há beleza 
A força bruta impera 
Não há de haver sutileza 
Benevolência, quem dera! 
Sem indústria a fabricar 
Invenções custam chegar 
Só pra comida se esmera. 

34 
Deus também aí atua 
Pois sua cria não abandona 
Latente na escuridão 
Por instinto lá se soma 
Ela é criança a crescer 
Fruto pra amadurecer 
Na Luz que a reclama. 

35 
Não se percebe em um anjo 
O rastejante de então 
Como não se vê no adulto 
Seu traço de embrião 
Entre o ser mais elevado 
E o mais depauperado 
Circula uma multidão. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Da pedra onde dormimos 
Ao anjo que perseguimos 
Orienta(ou) ao hominal. 

37 
Um mundo superior 
De humanidade embelezada 
E vida diversa da nossa 
Corporalmente aperfeiçoada 
Não sujeita às vicissitudes 
E em sublimes atitudes 
A gente é toda purificada. 

38 
Libertos da grossa matéria 
Se movem bem ligeirinho 
Ou planam na atmosfera 
Como sendo passarinhos 
Resplandecendo na luz 
Comparando-se a Jesus 
No exemplo do caminho. 

39 
A sutileza da matéria 
Ao espírito dá vazão 
A infância então é curta 
Logo se toma a razão 
A morte não mete medo 
Já não é nenhum segredo 
É mera transformação. 

40 
Longe de causar pavor 
É uma passagem feliz 
Lá toda alma é livre 
E nada está por um triz 
Não se vive em lamento 
Através do pensamento 
É como tudo se diz. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Da matéria pouco efeito 
Já não há mais um defeito 
Pra nos tornar desigual. 

42 
Pense num lugar bom 
Essa terra venturosa 
Onde nada a perturbar 
As relações amistosas 
Nenhuma ambição gera 
Qualquer estado de guerra 
Só há virtudes valorosas. 

43 
Não há senhores a mandar 
Escravos pro sofrimento 
Nem sequer privilegiados 
Por obra do nascimento 
Somente o estado moral 
E o nível intelectual 
Causam diferenciamento

44 
Lá a autoridade merece 
Respeito de todo mundo 
Pelo mérito conferido 
Esse detalhe é profundo 
Se exerce com justiça 
Essa é básica premissa 
E ninguém é moribundo 

45 
O homem nunca procura 
Elevar-se sobre o irmão 
Mas acima de si mesmo 
Conquistando progressão 
Seu projeto de futuro 
É se nivelar ao puro 
Espírito em elevação. 

46 
De sentimento delicado 
O ódio não se conhece 
Estando purificado 
O ciúme não acontece 
Já não se faz a riqueza 
Explorando a pobreza 
O forte ao fraco enaltece. 

47 
Ainda se constituem bens 
Conquista da inteligência 
Uns com mais uns com menos 
Necessários à vivência 
Não há mais expiação 
Só provas da coroação 
Do bem marcando presença. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
O bem sempre predomina 
O mal já não mais ensina 
Pense numa moral! 

49 
Entre nós é preciso o mal 
Para gente apreender o bem 
De uma noite de escuridão 
Pra vermos a luz que vem 
De doenças a sofrer 
Pra saúde promover 
Contrastes que nos convém! 

50 
Lá não precisa disso 
O mal nunca tem acesso 
A serenidade da alma 
É fruto do seu progresso 
Se somam luz e beleza 
Matéria não faz tristeza 
Nessa lógica me apresso. 

51 
Assimilar isso foi difícil 
Difícil de compreensão 
Pintamos dores do inferno 
E do céu, sem uma noção 
Das alegrias de lá 
Não se pôde imaginar 
Falta um porquê, diz a razão. 

52 
Porque sendo atrasado 
Vive misérias e dor 
Das claridades do céu 
Não compreende o amor 
Não descreve o que cresce 
Pois ainda não conhece 
Da caridade o valor. 

53 
Na medida em que avança 
Passa a ser impulsionado 
Pelo bem diante de si 
No amor vivenciado 
Fica para trás o mal 
Sua ação é proposital 
No horizonte alargado. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E sem ter comparação 
A gente não tem noção 
Do que seja natural! 

55 
Mas não pensem assim 
Que estamos renegados 
Que mundos feliz’ seriam 
Planetas privilegiados 
Deus sendo imparcial 
Dá a todos potencial 
Para atingir esse estado: 

56 
Nossa escolha e proceder 
Nosso trabalho diário 
Permite andar depressa 
Ou congelar no itinerário 
Não se pode ser inativo 
No exemplo proativo 
Do criador igualitário 

57 
Dos espíritos escritores 
Isso é parte do ensinado 
Muito ainda a ser dito 
Para nosso aprendizado 
Em breve comparação 
Dando toques na razão 
Entendamos nosso estado! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E usando intermediários 
Por serem dignitários 
Reaviva esse cabedal! 

...

MUNDOS DE EXPIAÇÕES E PROVAS 
(Santo Agostinho) 

Nas instruções dos espíritos 
Nos questiona Agostinho 
Que dizer dos de Expiações 
Como esse nosso mundinho 
Então nos pede para olhar 
Pra o sofrimento que há 
Nesse nosso Brumadinho. 

60 
Não acabasses de sair 
Das mãos do Deus criador? 
A inteligência que usas 
Para o bem ou desfavor?! 
E as inatas qualidades 
Asseguram a validade 
Dos mundos que habitou 

61 
A Terra não é primitiva 
Mas lhe serve de morada 
De provas e expiações 
Nesse nível é habitada 
Passagem de sofrimento 
Para vosso adiantamento 
Para uma ditosa morada. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Numa escalada até cem 
Já não somos mais refém 
Já avançamos um grau! 

63 
Enquanto daqui não saem 
Espíritos em expiação 
Carregados de inteligência 
Ajudam na progressão 
Dos que estão primitivos 
Por assim dizer nativos 
Em curso de educação. 

64 
Em condições adversas 
Convivendo lado a lado 
Uns de outros mundos vêm 
Aos nativos ajuntados 
Degradado em expiação 
Ou primevo em provação 
Ajudam e são ajudados. 

65 
Isso se dá por um tempo 
Pequeno pra Divindade 
Pra gente que está vivendo 
Parece uma eternidade 
Senso moral despertando 
Coração vai apertando 
Viva a sensibilidade! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E nesse ir e vir então 
Pela reencarnação 
Quer nos ver angelical! 

67 
A Terra então é exílio 
Um tipo de expiatório 
Em meia a imensidão 
De mundos transitórios 
Rebeldes à Lei Divina 
A gente encontra na sina 
Um grande laboratório. 

68 
E a nossa perversidade 
Em inclemente natureza 
Num aparente castigo 
Revela uma grandeza: 
Luta sem negligência! 
Desenvolva a inteligência! 
E um coração de grandezas! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Pelo contrário dá chance 
Que cada ato nos lance 
A (um) melhor nível moral. 

MUNDOS REGENERADORES 
(Santo Agostinho) 

Há incontáveis mundos 
Pra provar e expiar 
Mais ou menos felizes 
Mundos pra regenerar 
No turbilhão de planetas 
Nós não somos cometa 
Destinado a se acabar. 

71 
Nele há mundos de exílio 
E mundos de felicidade 
Girando em torno de sóis 
Para toda a humanidade 
Do primitivo de aquém 
Ao celeste de além 
São tudo oportunidade. 

72 
Onde a alma ignorante 
E simples, recém-criada, 
Destina-se ao Criador 
De livre-arbítrio dotada 
A que sucumbe no mal 
Não se perde e, afinal, 
Mundo a mundo faz estrada 

73 
E a cada encarnação 
Passa por novo degrau 
E a cada mundo novo 
Deixa para trás seu mal 
E assim que se depura 
E assim que regenera 
Alcança o ser integral 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E pela Lei do Progresso 
Nos quer filho regresso 
Ao berço do seu natal. 

75 
Ah, Mundos Regeneradores! 
Transição tão esperada 
Ainda sob leis da matéria 
Porém bem sutilizadas 
Onde o deforete acalma 
No refrigério da alma 
Sem paixões desordenadas! 

76 
Ah, Mudos Regeneradores! 
Com desejo e sensação 
Sob controle do espírito 
Que alcançou libertação 
Da inveja que o tortura 
Do ódio que o amargura 
Do orgulho e da ambição. 

77 
Ah, Mundos Regeneradores 
Onde se foca no bem 
Onde as leis divinas são 
O todo que nos convém 
Onde se vive o amor 
Como fio condutor 
Da convivência com alguém. 

78 
Ah, aurora da felicidade! 
Onde ainda a carne usando 
O espírito está sujeito 
Às vicissitudes e quando 
Passa por uma provação 
Jamais por uma expiação 
Logo se vê comparando: 

79 
Estão numa calmaria 
Depois de uma tempestade 
Saídos da ignorância 
Livres de uma enfermidade 
Já divisam o futuro 
Que não é mais obscuro 
Em divinas novidades. 

80 
Quando diante de morte 
Então, liberta, a alma pairará 
Acima de todo horizonte 
E em períspirito aspirará 
Emanações da divindade, 
Aroma de amor e caridade 
Que só então perceberá. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E a alma condenada 
Ajuda na empreitada 
Do engenheiro sideral. 

82 
Ah, seres que nestes orbes 
Inda podem ao mal sucumbir 
Pois este erro os espreita 
Carecem de esforço a subir 
Se não avançam, recuam 
E no degredo se amuam 
Ainda podem falir... 

83 
Regressar ao tempo antigo 
De provas e expiações 
Não quererás meu amigo 
Não lhe faltam opções 
É amar e assim servir 
É no bem sempre agir 
Para seguir as progressões. 

84 
Contemplemos nós que aqui 
Ainda estamos a chorar 
A abóboda celeste azul 
No esforço pra se melhorar 
Peçamos ao orar, em ação 
Pela nossa elevação 
Para mais rápido alcançar. 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Não pense que o enviado 
Possa ter exagerado 
Na lição celestial. 

PROGRESSÃO DOS MUNDOS 
(Santo Agostinho) 

Diz a lei da natureza 
Essa da Progressão 
Nada se perde, é fato, 
Tudo em transformação 
Sejam os seres animados 
E também inanimados 
Por meio de destruição 

87 
Destruição soa mal 
Parece não se careça 
Mas manifesta o amor 
Do criador, e agradeça: 
Nada sofre aniquilamento 
Que nada motive um lamento 
Tudo assim se engrandeça! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Esse meio de mudar 
Para o espírito melhorar 
Só parece ser o final. 

89 
Ao longo das existências 
A gente avança moralmente 
A Terra fere e é ferida e 
Progride materialmente 
Todos os mundos assim 
Seguem para esse fim 
E vamos paralelamente. 

90 
As tantas fases da Terra 
Ah, se pudéssemos assistir! 
A escalada de mudanças 
Pra gente bem existir... 
Imperceptível às gerações 
Abririam os corações 
Na marcha pra progredir! 

...

91 
A gente dormiu na pedra 
Terras se consolidando 
A gente vibrou no mato 
O ar se purificando... 
Um mundo mais agradável 
Para o ciclo inenarrável 
Da alma indo e voltando 

92 
Do animal que sonhou 
No ar, no mar e no chão 
A gente se acordando 
Na senda da progressão 
Nada é estacionário 
Tudo segue um itinerário 
O criador está falando 

93 
Tudo assim se ajustando 
Pela Lei maior de Amor 
Não se limitando à Terra 
O olhar do Nosso Senhor 
Que ideia majestosa 
Que mente laboriosa 
Do nosso Deus-Criador 

94 
A Terra é um grão de areia 
No Universo Divino 
Mesquinho pensar Deus 
Como poeta menino 
Se colocando a dizer 
Que há só nos a merecer 
Os louvores do seu Hino 

95 
A humanidade restrita 
Aos que estão encarnados 
Ignorando aonde vamos 
Depois de ser libertados 
Ignorando de onde vem 
Apegado ao que convém 
E tudo se vendo lascados! 

96 
Segundo aquela Lei 
Nosso mundo foi inferior 
Na matéria e no moral 
Uma e outro professor 
Hoje de Prova e Expiação 
Servindo à preparação 
Para o mundo Regenerador 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Só o amor constrói 
A indiferença só corrói 
Seja um ser celestial. 

98 
Há chegado o momento 
De acelerar no caminho 
De olharmos para o mundo 
E trata-lo com carinho 
Planta, bicho e gente 
Seguem junto essa corrente 
Afirma Santo Agostinho! 

MOTE 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
Ainda teremos provas 
Pro espirito que se renova 
Até ser um ser angelical. 

100 
Papai do céu é sabido 
É inteligência universal 
Eterno como só ele 
Não nos perderá no mal 
E me usou um bocadinho 
Pra mandar um recadinho: 
Sua obra não tem final. 

05 de Janeiro de 2020 
Evaldo Pedro da Costa Brasil 
Sociedade de Estudos Espíritas Esperancense/SEEE 
Abrindo o ano do Jubileu de Prata

domingo, 1 de dezembro de 2019

Especial | Esperança, 94 Anos | MCAE*

2019......................................
...
30NOV Convite oficial para as comemorações dos 94 anos de Emancipação de Esperança/PB.
FONTE: Secom/PME, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

.............................................
...
30NOV Manifestação da iniciativa privada...
FONTE: Armazém Paraíba, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

.........................................
...
01DEZ ...A juventude se manifesta, em meio às homenagens.
FONTE: Joabson Trajano, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

.........................................
...
01DEZ ...E manifestações particulares, sempre registrando algo que simbolize a cidade.
FONTE: Ari Barbosa, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

.....................................
...
01DEZ E as mulheres também se manifestam.
FONTE: Cristiana Almeida, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

..........................................
...
01DEZ19 Destacando-se a Igreja Matriz, entre as representações.
FONTE: Mércia Rosa, via Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

...............................................
...
01DEZ O escritor Rau Ferreira se destaca, dentre as *manifestações comemorativas da emancipação de Esperança/PB.
FONTE: História Esperancense. TRATO: Evaldo Brasil.

...............................................
...
01DEZ A iniciativa privada da expansão urbana também comemora.
FONTE: Divulgação. TRATO: Evaldo Brasil.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Poema | C49-203 Isso é Tudo Ensinamento | Cordel

2018
...
04SET18 Originalmente pensado a partir de "Isso é tudo Folk Lore", o poema ganha vida e, depois da maturação, ganha vida própria, sendo finalizado hoje.
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Poema | C49-202 De como Moleque foi e Permanece entre Nós | Cordel

2018
...
30AGO18 Iniciado em 22 de junho, quando do velório de Antonio "Moleque" Vitorino de Sousa, finalmente finalizamos e disponibilizamos como homenagem.
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Poema | C49-201 Desenfreado num Mote bem Empregado | Cordel

2018
...
21AGO18 Embora quando me dou um mote consiga versejar, as atribuições que recebo e as que escolho acabam deixando esse exercício de reflexão em segundo plano, mas eis que este foi o primeiro deste ano. 
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Poema | C49-200 Já não se vê mais Homem-nu como antigamente | Cordel

2017........................................
...
22NOV Uma temática que virou folclore em nossa cidade, em mais um poema, refletindo sobre as razões da existência desta figura em nosso imaginário.
AUTOR&TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Artevangelização | Improviso | Iordan Alcar

2017

08OUT17 O nosso confrade, mais uma vez, improvisa após assistir a palestra, contribuindo com a harmonização e o encerramento da noite.
IMAGENS&TRATO: Evaldo Brasil.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Cultura | Sarau 2015.6 Charau | FIC

2015........................................
...
28JUN O evento inicia pelas 19h45, quando Evaldo Brasil dá as boas vindas, dizendo que a “casa de esperança e luz” se faz “casa das artes”; compõe uma mesa com Odaildo Taveira e Adelson Moreno, mais antigo e mais recente frequentador da SEEE, respectivamente, dentre os presentes, e o representante do Megafone Soluções Culturais, Clêrton Moura...
................................................
...
28JUN ...Brasil explica das dificuldades para manter a agenda mensal do FIC; do uso e manuseio da Biblioteca Itinerante e, em seguida passa a palavra aos membros da mesa...
.................................................

28JUN Vídeo 1 da primeira parte do Sarau Charau realizado pelo Fórum Independente de Cultura. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube. 
.................................................
...
28JUN ...Edson Fernandes apresentou Chico Pedrosa (Guerreiro do Pajeú), utilizando o celular, a exemplo de Brasil que lê seu poema Uma Casa de Esperança e Luz (cordel 49-026)...
.................................................
... 
28JUN ...Taveira diz da satisfação e Moura reconhece as dificuldades para fazer cultura, não admitindo desistir da luta apesar disso...
.................................................


28JUN Vídeo 2 da primeira parte do "charau", momento formal, que terminaria com um chá. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube. 
.................................................
...
28JUN ...Iordan Alcar também canta sua música “A Busca” e “Presença” -de J. Neto- acompanhado da percussão de Severino Farias, interpreta Benito di Paula (Proteção às Borboletas), diz e canta Accioly Neto (A Natureza das Cosias -Se avexe não) versejando de improviso entre elas... 
.................................................
...
28JUN15 Na segunda rodada, após um chazinho, formou-se uma roda de conversas. Fabrício Dantas se despede com um poema dedicado à dança e “Clichês do dia a dia”...
.................................................

28JUN Segunda parte do "charau", momento mais informal, que terminou com uma roda de conversa, ignorando a câmera. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube.
.................................................
...
28JUN ...Anselmo Nascimento interpreta Roberto Carlos (Como é grande o meu amor por você)...
.................................................
...
28JUN Registro oficial do sarau. 
FOTO: Helton Meireles. TRATO: Evaldo Brasil.
.................................................

Ata do Sarau do FIC (Fórum Independente de Cultura), Edição 2015.6. Após a última das assinaturas lavraremos esta. Esperança, aos 28 de junho, na Sociedade de Estudos Espíritas/SEEE. (Assinaturas)

O evento inicia pelas 19h45, quando Evaldo Brasil dá as boas vindas, dizendo que a “casa de esperança e luz” se faz “casa das artes”; compõe uma mesa com Odaildo Taveira e Adelson Moreno, mais antigo e mais recente frequentador da SEEE, respectivamente, dentre os presentes, e o representante do Megafone Soluções Culturais, Clêrton Moura. Brasil explica das dificuldades para manter a agenda mensal do FIC; do uso e manuseio da Biblioteca Itinerante e, em seguida passa a palavra aos membros da mesa. Taveira diz da satisfação e Moura reconhece as dificuldades para fazer cultura, não admitindo desistir da luta apesar disso. 

Iniciando as apresentações conforme acordado entre os presentes, Brasil convida os Megafônicos a se apresentarem. Moura na voz e violão, interpreta Doralice (Dorival Caymmi/Antonio Almeida), contando antes a história da música. Sendo acompanhado por Helton Meireles (percussão com colheres). Fabrício Dantas, também de Campina Grande, estreando no evento, apresenta seus poemas “Destransformação” e “Se meu coração planasse”. 

Edson Fernandes apresentou Chico Pedrosa (Guerreiro do Pajeú), utilizando o celular, a exemplo de Brasil que lê seu poema Uma Casa de Esperança e Luz (cordel 49-026). Taveira apresentou diversos poetas, dizendo preferir os mortos, consagrados pelo público e registrado em livro (Lourival, Dimas e Otacílio Batista; João Paraibano), além de contar causos de Esperança/PB a partir de foto do América Futebol Clube, onde atuou como goleiro, e de ingresso plastificado do antigo Cine São Francisco, de Titico Celestino. 

Fabrício Dantas retoma o palco, dizendo sua prosa “Ciência e Religião, feliz matrimônio”. Iordan Alcar também canta sua música “A Busca” e “Presença” -de J. Neto- acompanhado da percussão de Severino Farias, interpreta Benito di Paula (Proteção às Borboletas), diz e canta Accioly Neto (A Natureza das Cosias -Se avexe não) versejando de improviso entre elas. 

Na segunda rodada, após um chazinho, formou-se uma roda de conversas. Fabrício Dantas se despede com um poema dedicado à dança e “Clichês do dia a dia”. 

Moura e Medeiros voltam, interpretando V. Morais/A. Maria (Quando tu passas por mim). E. Fernandes diz Lourival Batista, no mote desafio “Que um é, porém não parece, outro parece e não é”, instigando Severino Farias a também desfilar versos. Neste clima, nas despedidas de Ana Paula e Adelson Moreno, Brasil acompanhado de Meireles (Pandeiro) canta Jackson do Pandeiro (Forró na Gafieira). Anselmo Nascimento interpreta Roberto Carlos (Como é grande o meu amor por você). Seguiram numa empolgante conversa sobre Jackson, Biliu de Campina, Genival Lacerda e outros expoentes da música popular nordestina e brasileira. Sem mais para o momento, eu, Evaldo Brasil, secretário ad hoc lavro a presente ata do sarau 2015.6. Esperança, aos 28 de junho de 2015, véspera de São Pedro. 
.................................................
...
28JUN Resumo visual do encontro, incluindo o convite virtual utilizado nas redes sociais. 
FOTOS: Helton Meireles. TRATO: Evaldo Brasil.

Arquitetura | Quatro Pisos | DPC*

2021........................................ ... 26JAN Registro na contraluz de fim de tarde, vista do lajeiro da Capelinha, com quem compet...