Mostrando postagens com marcador Pedro Fernandes Pimenta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pedro Fernandes Pimenta. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 1 de março de 2017

Coletivo | Boneca do Lero | PFPA

ATUALIZAÇÕES 2021

SD............................................
...
SD Pedro Fernandes Pimenta e o irmão e parceiro nas aventuras carnavalescas, o popular Manoel "Piola" Fernandes
FONTE: Moacy Fernandes, via Esperança PB Terra Mãe. TRATO: Evaldo Brasil.
.................................................
...
SD Pedro Fernandes Pimenta sentado com o que restou da boneca; Lú Pereira, segurando a placa; Vicente Simão e Diogo Batista, em pé... 
ACERVO: Dona Zefinha. TRATO: Evaldo Brasil.
................................................
...
SD ... fazendo a festa com a famosa boneca, arrastando tudo. 
ACERVO: Luiz Martins de Oliveira. TRATO: Evaldo Brasil.
.................................................
...
SD ... Aqui colorizada, através do MyHeritage. 
ACERVO: Idem. TRATO: Idem.

.................................................
...
SD Uma dos poucos registros de Pedro Fernandes, o Lero da Boneca, encontrado com parentes. 
ACERVO: Carmem Freire, via Moacy Fernandes, pelo Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.
................................................
...
SD Lero, a paisana, com sua segunda esposa, Dona Nevinha.
ACERVO: Carmem Freire. TRATO: Evaldo Brasil.
................................................
...
SD Outro registro, colorizado, com os brincantes com quem Lero se ajuntava ou que se união ao Lero, incluindo índio, reizinho, burrica, lias e músicos. 
ACERVO: Família Pessoa. TRATO: Evaldo Brasil.
1980........................................
...
SD Os Borós, um dos mais conceituados coletivos carnavalescos de Esperança prestando homenagem ao "Velho Lero". 
ACERVO: Jailson Andrade. TRATO: Evaldo Brasil.
2011............................................
...
06MAR Outras bonecas surgiram, mas nada que se comparasse a de Lero. 
FONTE: Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.
2014.........................................
...
MAR14 Antonio Padeiro, que também é pedreiro, vez por outra resgata a memória de Lero, com a boneca dele em pleno arrastão. 
FONTE: Secom/PME, perfil no Facebook. TRATO: Evaldo Brasil.

2017..........................................

"A Boneca de Lero"

Pedro Lero Fernandes Pimenta da Boneca do Carnaval

Pedro Fernandes Pimenta, o popular Lero, da Boneca, residiu durante muitos anos no Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Esperancense nato, não perdia um Carnaval em sua terra; vinha para cá todo ano participar do Tríduo Momesco.

As bonecas dançantes que, ano sim ano não, aparecem fazendo pareia com um folião solitário, certamente são inspiradas na de Lero. Foi ele quem criou a famosa troça que recebeu seu apelido como sobrenome “Boneca do Lero”. Como um Arrasta Tudo da história mais recente e os Arrastões modernos, carregava outros brincantes, desgarrados ou não de suas troças de origem, a exemplo dos Índios, das Ala-ursas, dos Cabeções e dos Papangus.

Há quem diga que não era bonita, (julgue você mesmo), mas o engraçado era o gingado que Lero fazia, agarrado no pescoço, balançando aquele “mamulengo” gigante de um lado para o outro. O bloco chegou a ser acompanhado por uma centena de brincantes. Criaram até uma marchinha, parodiando “Acorda, Maria Bonita”, tradicional baião atribuído a Antonio dos Santos, o cangaceiro Volta Seca, do bando de Lampião.

“Acorda Maria Bonita, / Acorda pra fazer café, / Que o dia já vem raiando / E a Boneca de Lero / Já está de pé”.

Segundo consta, nos anos 70, Lero se envolveu numa briga e foi detido no sábado de Carnaval. De nada adiantaram os pedidos dos amigos, o então Tenente Morais* foi irredutível na decisão de só liberá-lo depois da festa. Os mais chegados viam naquela prisão uma espécie de retaliação contra a irreverência da troça liderada por Pedro Fernandes Pimenta, o Lero, durante as farras.

O fato é que Lero só seria solto na Quarta-feira de Cinzas, e os seus amigos, entristecidos por ele ter passado o Carnaval preso, resolveram fazer, talvez, o primeiro fora de época de Esperança, brincando da frente da cadeia, quando da sua soltura, até o raiar do dia seguinte, girando pelos seus trajetos de costume. Há quem diga, em contraponto, que seguiram para a vizinha Remígio e lá teriam feito a festa, em protesto, inclusive, mudaram a letra da música da “Boneca”, que ficou assim:

Segura a Boneca Lero / Segura não deixa cair / Segura a Boneca Lero / Que a polícia já vem aí.

Lero, com sua troça “Boneca do Lero” alegrou muitos carnavais, ao lado do “Zé Pereira” e do “Bumba-meu-boi” de João Marcolino. A tradição da “boneca” não acabou com seu criador, que faleceu por afogamento numa cachoeira, em Magé/RJ, mas certamente nunca mais foi a mesma!


NOTA: O nome de batismo de Lero, Pedro Fernandes Pimenta, e seu parentesco nos foram informados primeiramente pelo eclético Ednaldo da Silva Lanco Pintor, incomodados que estávamos com a falta dessa informação no Memorial do Carnaval de Esperança, de Inácio Gonçalves, lançado em 2016. Moacy Fernandes, sobrinho de Lero, filho de Dona Zena (Maria Bertezena), cita outros tios e tias, como o sapateiro “Antonio A Jato”; os de São Miguel, Dona Bia esposa de Zé Carlota, e Dona Lourdes de Luís Bento, pais de Antonio Carlos Bacaninha da Silva, motorista do transporte alternativo, que também nos atesta esse parentesco. A Jato e Mané Piola (Manoel Fernandes) brincaram, anos a fio, nas idas e vindas de Pedro Lero Fernandes pra rever a família, quando faziam a festa por aqui, de preferência no período de Carnaval.

*conforme Sandro Romero, via Facebook e Ednaldo da Silva Lanco Pintor, pessoalmente.

Arquitetura | Quatro Pisos | DPC*

2021........................................ ... 26JAN Registro na contraluz de fim de tarde, vista do lajeiro da Capelinha, com quem compet...