Mostrando postagens com marcador Poesia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poesia. Mostrar todas as postagens

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Capas | Desafios e Emboladas | CSTM*

1976........................................
...
SD Capa do long-play (LP, vinil) lançado pelo selo Cactus, no qual os cantadores *Chico Sena e Toinho da Mulatinha (esse esperancense) se enfrentam e se complementam em sua arte. 
FONTE: Mercado Livre. TRATO: Evaldo Brasil. 

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Poema | C49-203 Isso é Tudo Ensinamento | Cordel

2018
...
04SET18 Originalmente pensado a partir de "Isso é tudo Folk Lore", o poema ganha vida e, depois da maturação, ganha vida própria, sendo finalizado hoje.
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Poema | C49-202 De como Moleque foi e Permanece entre Nós | Cordel

2018
...
30AGO18 Iniciado em 22 de junho, quando do velório de Antonio "Moleque" Vitorino de Sousa, finalmente finalizamos e disponibilizamos como homenagem.
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Poema | C49-201 Desenfreado num Mote bem Empregado | Cordel

2018
...
21AGO18 Embora quando me dou um mote consiga versejar, as atribuições que recebo e as que escolho acabam deixando esse exercício de reflexão em segundo plano, mas eis que este foi o primeiro deste ano. 
AUTORIA&TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Cristo em Casa | Tallius de Tarssus | Poema

2018

18MAR18 Na iminência de mais um CD, o Semearte harmoniza a noite de aniversário de *23 anos da SEEE e, atendendo ao palestrante, canta o tema da palestra.
IMAGENS&TRATO: Evaldo Brasil.

Cristo em Casa
(Casimiro Cunha, por Chico Xavier)

Se desejas extinguir
A sombra que aflige e atrasa,
Não olvides acender
A luz do Evangelho em casa.
Quando possível, nas horas
De doce união no lar,
Estende a Lição Divina
Ao grupo familiar.
Na chama viva da prece,
O culto nobre inicia,
Rogando discernimento
À Eterna Sabedoria.
Logo após, lê, meditando
O Texto Renovador
Da Boa Nova sublime,
Que é fonte de todo o amor.
Verás a tranquilidade,
Vestida em suave brilho,
Irradiando esperança
Em todo o teu domicílio.
Ante a palavra do Mestre,
Generosa, clara e boa,
A experiência na Terra
É luta que aperfeiçoa.
Mentiras da vaidade,
Velhos crimes da avidez,
Calúnia e maledicência
Desaparecem de vez...
Serpentes envenenadas
Do orgulho torvo e escarninho,
Sob o clarão da verdade,
Esquecem-nos o caminho.
Dificuldades e provas,
Na dor amargosa e lenta,
São recursos salvadores
Com que o Céu nos apascenta.
E o trabalho por mais rude,
No campo de cada dia,
É dádiva edificante
Do bem que nos alivia.
É que, na Bênção do Cristo,
Clareia-se-nos a estrada
E a nossa vida ressurge,
Luminosa e transformada.
Conduze, pois, tua casa
À inspiração de Jesus.
O Evangelho em tua mesa
É pão da Divina Luz.

FONTE: LUZ no LAR

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Artevangelização | Improviso | Iordan Alcar

2017

08OUT17 O nosso confrade, mais uma vez, improvisa após assistir a palestra, contribuindo com a harmonização e o encerramento da noite.
IMAGENS&TRATO: Evaldo Brasil.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Cultura | Sarau 2015.6 Charau | FIC

2015........................................
...
28JUN O evento inicia pelas 19h45, quando Evaldo Brasil dá as boas vindas, dizendo que a “casa de esperança e luz” se faz “casa das artes”; compõe uma mesa com Odaildo Taveira e Adelson Moreno, mais antigo e mais recente frequentador da SEEE, respectivamente, dentre os presentes, e o representante do Megafone Soluções Culturais, Clêrton Moura...
................................................
...
28JUN ...Brasil explica das dificuldades para manter a agenda mensal do FIC; do uso e manuseio da Biblioteca Itinerante e, em seguida passa a palavra aos membros da mesa...
.................................................

28JUN Vídeo 1 da primeira parte do Sarau Charau realizado pelo Fórum Independente de Cultura. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube. 
.................................................
...
28JUN ...Edson Fernandes apresentou Chico Pedrosa (Guerreiro do Pajeú), utilizando o celular, a exemplo de Brasil que lê seu poema Uma Casa de Esperança e Luz (cordel 49-026)...
.................................................
... 
28JUN ...Taveira diz da satisfação e Moura reconhece as dificuldades para fazer cultura, não admitindo desistir da luta apesar disso...
.................................................


28JUN Vídeo 2 da primeira parte do "charau", momento formal, que terminaria com um chá. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube. 
.................................................
...
28JUN ...Iordan Alcar também canta sua música “A Busca” e “Presença” -de J. Neto- acompanhado da percussão de Severino Farias, interpreta Benito di Paula (Proteção às Borboletas), diz e canta Accioly Neto (A Natureza das Cosias -Se avexe não) versejando de improviso entre elas... 
.................................................
...
28JUN15 Na segunda rodada, após um chazinho, formou-se uma roda de conversas. Fabrício Dantas se despede com um poema dedicado à dança e “Clichês do dia a dia”...
.................................................

28JUN Segunda parte do "charau", momento mais informal, que terminou com uma roda de conversa, ignorando a câmera. 
EDIÇÃO: Evaldo Brasil, via YouTube.
.................................................
...
28JUN ...Anselmo Nascimento interpreta Roberto Carlos (Como é grande o meu amor por você)...
.................................................
...
28JUN Registro oficial do sarau. 
FOTO: Helton Meireles. TRATO: Evaldo Brasil.
.................................................

Ata do Sarau do FIC (Fórum Independente de Cultura), Edição 2015.6. Após a última das assinaturas lavraremos esta. Esperança, aos 28 de junho, na Sociedade de Estudos Espíritas/SEEE. (Assinaturas)

O evento inicia pelas 19h45, quando Evaldo Brasil dá as boas vindas, dizendo que a “casa de esperança e luz” se faz “casa das artes”; compõe uma mesa com Odaildo Taveira e Adelson Moreno, mais antigo e mais recente frequentador da SEEE, respectivamente, dentre os presentes, e o representante do Megafone Soluções Culturais, Clêrton Moura. Brasil explica das dificuldades para manter a agenda mensal do FIC; do uso e manuseio da Biblioteca Itinerante e, em seguida passa a palavra aos membros da mesa. Taveira diz da satisfação e Moura reconhece as dificuldades para fazer cultura, não admitindo desistir da luta apesar disso. 

Iniciando as apresentações conforme acordado entre os presentes, Brasil convida os Megafônicos a se apresentarem. Moura na voz e violão, interpreta Doralice (Dorival Caymmi/Antonio Almeida), contando antes a história da música. Sendo acompanhado por Helton Meireles (percussão com colheres). Fabrício Dantas, também de Campina Grande, estreando no evento, apresenta seus poemas “Destransformação” e “Se meu coração planasse”. 

Edson Fernandes apresentou Chico Pedrosa (Guerreiro do Pajeú), utilizando o celular, a exemplo de Brasil que lê seu poema Uma Casa de Esperança e Luz (cordel 49-026). Taveira apresentou diversos poetas, dizendo preferir os mortos, consagrados pelo público e registrado em livro (Lourival, Dimas e Otacílio Batista; João Paraibano), além de contar causos de Esperança/PB a partir de foto do América Futebol Clube, onde atuou como goleiro, e de ingresso plastificado do antigo Cine São Francisco, de Titico Celestino. 

Fabrício Dantas retoma o palco, dizendo sua prosa “Ciência e Religião, feliz matrimônio”. Iordan Alcar também canta sua música “A Busca” e “Presença” -de J. Neto- acompanhado da percussão de Severino Farias, interpreta Benito di Paula (Proteção às Borboletas), diz e canta Accioly Neto (A Natureza das Cosias -Se avexe não) versejando de improviso entre elas. 

Na segunda rodada, após um chazinho, formou-se uma roda de conversas. Fabrício Dantas se despede com um poema dedicado à dança e “Clichês do dia a dia”. 

Moura e Medeiros voltam, interpretando V. Morais/A. Maria (Quando tu passas por mim). E. Fernandes diz Lourival Batista, no mote desafio “Que um é, porém não parece, outro parece e não é”, instigando Severino Farias a também desfilar versos. Neste clima, nas despedidas de Ana Paula e Adelson Moreno, Brasil acompanhado de Meireles (Pandeiro) canta Jackson do Pandeiro (Forró na Gafieira). Anselmo Nascimento interpreta Roberto Carlos (Como é grande o meu amor por você). Seguiram numa empolgante conversa sobre Jackson, Biliu de Campina, Genival Lacerda e outros expoentes da música popular nordestina e brasileira. Sem mais para o momento, eu, Evaldo Brasil, secretário ad hoc lavro a presente ata do sarau 2015.6. Esperança, aos 28 de junho de 2015, véspera de São Pedro. 
.................................................
...
28JUN Resumo visual do encontro, incluindo o convite virtual utilizado nas redes sociais. 
FOTOS: Helton Meireles. TRATO: Evaldo Brasil.

domingo, 18 de junho de 2017

Poema | Rabisco | Livre

2017
...
JUN17 Poema livre em torno da persistência do ser e da vida.
AUTORA: Ana Flávia. FONTE: Blog Chão de Sonhos. TRATO: Evaldo Brasil.

domingo, 11 de junho de 2017

Poema | Rabisco | Livre

2017
...
18MAI17 Poema livre em torno da saudade que muda o que se vê por mudar o olhar de quem vê.
AUTORA: Ana Flávia. FONTE: Blog Chão de Sonhos. TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Texto | Rabisco | Prosa

2017
27MAR Reflexão em prosa poética sobre a finitude humana. AUTORA: Ana Flávia. TRATO: Evaldo Brasil.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Especial | Sarau Inaugural da Quero Mais | FIC

2016
10NOV16 Último sarau do ano do Fórum Independente de Cultura/FIC, que acontece em mais uma parceria com a AAQM. BANNER: Evaldo Brasil.
...
20NOV16 Primeiras presenças do Sarau Inaugural da AAQM, em parceria com o FIC. FOTO&TRATO: Evaldo Brasil.
ATA REGISTRO
Lista de presença do Sarau Inaugural, realizado pela parceria FIC/AAQM, na inauguração da sede própria da Associação Afro-cultural Quero Mais, aos 20 de novembro de 2016. Fórum Independente de Cultura. Após a última das assinaturas, faremos o devido registro. (Ass)

Pelas 15h30, como agendado, fez-se fotografia registrando as primeiras presenças (acima), destacando a fachada da sede própria da Associação Afro-cultural Quero Mais/AAQM. O livro de atas circulou, coletando as assinaturas dos presentes. Evaldo Brasil e Antonio Marcos Viturino de Souza, pelo FIC e pela AAQM, respectivamente, montaram e anunciaram o roteiro da tarde.

Evaldo Brasil, atuando como mestre de (sem) cerimônia fez a fala inicial, explicando o funcionamento do Sarau; Marquinho Pintor fez pequeno histórico da Quero Mais e convidou a todos a serem parceiros nessa empreitada, informando do início das oficinas de confecção de Ala-ursas, a partir de dezembro, considerando a iminência do Carnaval, um dos momentos mais intensos da entidade.

A primeira apresentação se deu pelas meninas do grupo de dança da AAQM, que fizeram dois números, incluindo “Paraíba, Joia Rara”, de Ton Olivieira; Evaldo Brasil apresentou seu primeiro cordel (C49-001) “Se essa rua fosse minha”. Enquanto isso, a professora Enilda Marcelino e alunas da EMEF Dom Manoel Palmeira, finalizavam e apresentaram uma reflexão e o poema “Consciência Negra” através de Thalya Eslene Guedes Costa (6º Ano). Delas ficaram trabalhos em mosaico, expostos junto ao acervo da Quero Mais.

Brasil convoca os que não assinaram a Lista de Presença/Livro de Ata para fazê-lo, lembrando que fazer as coisas sem documentar é o mesmo que não fazer; dizendo em seguida um poema “Afro-desejo” do esperancense Egberto Vital (Sinestesia, AgBook, 2011).

Pai Fernando de Logun Edé, representante do Candomblé, é convidado e fala sobre intolerância religiosa, historiando a sua tradição, distinguindo de assemelhados, a exemplo da Jurema e da Umbanda; desmistificando expressões e atribuições que refletem um quadro de ignorância que vem diminuindo, mas ainda existe.

Brasil, enquanto se definia a próxima fala, apresenta Silvino Olavo, com o poema “Alegria Interior”; convoca Mãe Ana da Oxum, representante local do Candomblé, que tratou dos momentos de preconceito e discriminação que já sofrera. Porém, como resume sua prática religiosa enquanto um culto ao Amor, sendo muito feliz por isso, recomenda que todos persigam a felicidade, cultuando o amor, independente da religião que professem.

Marriet Delon, também ligada ao candomblé, se colocou como representante do movimento LGBT. Homenageando Elsa Soares, em sua caracterização, apontou que o preconceito mata mais que qualquer doença. E convocou as meninas, a partir da organização dela na Quero Mais, a participarem de futuro concurso Garota Quero Mais.

Beilza Pessoa, por sua vez, faz depoimento quanto à importância do espaço que se abre para a comunidade com a inauguração da AAQM, estimula as meninas do grupo de dança ao parabeniza-las e remete às escolhas, evitando a exposição do corpo e estímulo precoce da sexualidade.

Severino do Ramo, percussionista, se despede por ter que estar em Campina Grande ainda na noite do domingo, sugerindo agendar na UEPB cursos de dança e instrumentos de sopro, cujas inscrições estão abertas até dezembro, e que a iniciativa local será acolhida pela universidade gratuitamente.

Thallys Araújo, membro da iniciativa Quero Mais, apresenta material sobre a primeira juíza negra do Brasil, Luislinda Valois, como exemplo para ele. Ela resolveu ser juíza quando recomendaram que fosse ser cozinheira, pra preparar feijoada pra branco. Ele, que hoje trabalha para um escritório de advocacia, quer seguir a carreira dos patrões e estuda para isso. Em seguida, cantou uma ladainha de capoeira.

Para encerrar o sarau, as meninas da Quero Mais se dividiram em três subgrupos e fizeram apresentações competitivas: Patricinhas, Campeletes e Princesinhas, ganhando este último, sob o julgamento de sete jurados, por voto simples da que acharam melhor.


Pelas 17h30, como previsto, foi dado por encerrado o Sarau Inaugural, quando fora feita uma segunda foto oficial (abaixo), fixando a presença dos que assim quiseram. Nada mais havendo a registrar, eu Evaldo Pedro da Costa Brasil, finalizo esta. Esperança/PB, em 20 de novembro de 2016.

...
20NOV16 Últimas presenças, dos que quisera fixar o registro. FOTO: Beatriz dos Santos Silva. TRATO: Evaldo Brasil.

sábado, 27 de agosto de 2016

Especial | Sarau das 10 Presenças | FIC*

2016
27AGO16 As presenças do Sarau do *Fórum Independente de Cultura/FIC. FOTOS: Evaldo Brasil & Marquinho Pintor.

A TÍTULO DE REGISTRO

Registro do Sarau do FIC (Fórum Independente de Cultura), Edição 2016.4, em 27 de agosto de 2016, denominado “Sarau das 10 Presenças”, realizado na Câmara Municipal de Esperança. 

Após a última das assinaturas dos presentes, (em livro listados) registramos o que segue. 

Pelas 19h já se encontrava no local o vigilante designado, o senhor Luciano da Silva Pereira. Aguardamos, juntos, a chegada de mais alguém estabelecendo como limite às 20h, quando, sem ninguém mais, fecharíamos a casa e seguiríamos cada um para a sua. 

Depois da espera regada a temas diversos, chegaram as meninas do que fazem a dança na Associação Afro-cultural Quero Mais/AAQM, devidamente acompanhadas do coordenador Antonio Marquinho Pintor Viturino. Apenas um frequentador viera ao Sarau, interagindo conosco a cerca dos apelidos, Marinildo dos Santos, apresentando um dos que já fora tratado para relaxar as meninas que, em algum momento, pareciam desconfortáveis no tratamento entre si. 

Dado inicio formal, a pauta foi montada para tratar de rima e dança. Evaldo Brasil aplicou exercícios, improvisando quadras a partir dos nomes dos presentes. Em seguida, depois de alguns tentarem rimar, chegou o momento da apresentação de dança. As dançarinas da AAQM apresentaram dois números, coreografados por elas, um especialmente dedicado à Paraíba (a partir Paraíba, joia rara, de Ton Olivieira), cantada à capela. 

Dando por encerrado, fizemos as fotos oficiais, para publicação nas redes sociais e no Boletim Virtual Lautriv Mitelob. Nada mais havendo a registrar, senão as justificas ausências de Rau Ferreira e Fernando Virtuosi; agendamento para novo sarau em 20 de Novembro, por ocasião da inauguração da sede da AAQM, finalizo este. 
Evaldo Pedro da Costa Brasil. Esperança/PB, em 10 de setembro de 2016.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Não sei muito sobre reencarnação | Sarah Kay

Poema falado* 
Sarah Kay falando sua poesia
Quando os americanos bombardearam Hiroshima, a explosão formou uma pequena supernova, de tal forma que todo o animal, humano ou planta que recebeu os raios desse sol diretamente se transformou instantaneamente em cinzas.  E o que sobrou da cidade logo seguiu o mesmo destino. O efeito duradouro dos danos da radiação nuclear fez com que uma cidade inteira e a sua população se transformassem em pó.

Quando nasci, a minha mãe diz que olhei em volta do quarto do hospital com um olhar que dizia "Aqui? Eu já estive aqui antes". Ela diz que eu tenho olhos velhos.
Quando o meu avô Genji morreu, eu tinha apenas cinco anos, mas peguei na mão da minha mãe e disse-lhe, "não se preocupe, ele vai voltar na forma de um bebê". E, no entanto, para alguém que aparentemente já esteve aqui antes, ainda não aprendi nada.
Os meus joelhos ainda tremem quando subo em um palco. A minha autoconfiança pode ser medida em colheres de chá misturadas com a minha poesia, e ainda deixa um sabor estranho na minha boca.

Mas em Hiroshima, algumas pessoas foram varridas, deixando só um relógio de pulso ou uma página de diário. Por isso, não importa se tenho inibições para encher todos os meus bolsos, continuo a tentar, à espera de que um dia escreva um poema que me orgulhe tanto que possa ser exibido num museu como a única prova de que alguma vez existi.

Os meus pais deram-me o nome de Sarah, que é um nome bíblico. Na história original, Deus disse a Sarah que ela podia fazer algo impossível e ela riu, porque aquela Sarah, ela não sabia o que fazer com o impossível.
E eu? Bem, eu também não. Mas eu vejo o impossível todos os dias. O impossível é tentar se relacionar neste mundo, tentar se agarrar aos outros enquanto tudo explode a sua volta... tendo a certeza de que enquanto você fala, eles não estão só à espera da vez de falar: eles ouvem. De que eles sentem exatamente aquilo que você sente ao mesmo tempo em que você sente. É o que almejo cada vez que abro a minha boca: Essa ligação impossível.

Há um pedaço de parede em Hiroshima que foi pintado de preto pela radiação. Mas nos degraus, estava uma pessoa sentada que impediu a radiação de atingir a pedra. A única coisa que resta agora é a permanente sombra positiva de luz. Depois da bomba atômica, os especialistas disseram que demoraria 75 anos para que no solo da cidade de Hiroshima, danificado pela radiação, voltasse a crescer alguma coisa. Mas já naquela mesma primavera, havia rebentos brotando da terra.

Quando eu conheço você, nesse momento, eu deixo de ser parte do seu futuro. Rapidamente me torno parte do seu passado. Mas nesse instante, eu partilho o seu presente. E você, você partilha o meu. E esse é o maior presente de todos.

Então se me disser que eu consigo fazer o impossível, provavelmente vou rir. Não sei se já consigo mudar o mundo, porque sei quase nada dele, e também não sei muito sobre reencarnação. Mas, se me fizer rir e bem, posso até esquecer o século em que estou. Não é a primeira vez que estou aqui. Não é a última vez que estarei aqui. Estas não serão as últimas palavras que vou partilhar.

Mas, por via das dúvidas, estou dando o máximo para acertar desta vez.

*Com ajustes a partir da legenda de vídeo-aula.
Curso Explosão de Poesia. Em veduca.com.br

domingo, 28 de dezembro de 2014

Asas | Evaldo Brasil | Esperança/PB

Fonte: Internet

A festa que não fui foi muito boa
Como um pássaro que sem asas voa
A festa que não fui novamente foi muito boa
Como um grito mudo que, mesmo assim, ecoa.

Evaldo Pedro da Costa Brasil
Em 28 de Novembro de 1992.
Publicado originalmente em 2008.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Poema | O Sorriso da Flor Formosa (1) | Cordel

2011........................................

Na vespra de Santontõe
Vi seu sorriso feliz
O santo já fez o milagre
Você é tudo que quis
É a coisa mais formosa
Daqui e de todo país.

Seu pianinho resplandece
Como as estrela do céu
E cá debaixo te olhando
Dou de garra do chapéu
Quereno lavar a égua
E ser assim seu corcel.

Contam-me os Passarim
Que certo dia estarei
Diante de tua mus'ga
E nesse canto de rei
Vou festejar nosso amor
Na cama que escolherei.

Mas o branco do teu riso
Ainda não é todo meu
Você tem uma pareia
Que também te escolheu
Por enquanto ‘tô sonhano
Co'a luz que Deus me deu.

Eu aqui na Platonice
Fico a ti querer pra mim
Pra que sejamos um par
A seguir junto o camim
A semear muitas flores
Recompor nosso jardim.

Fico assim te esperano
Vivendo de verso e prosa
Doidim pra te encontrar
E declarar-te, valorosa,
Desde que vi para mim
O sorriso da flor formosa.

Evaldo Pedro da Costa Brasil
Em 21 de junho de 2011.

Publicado de improviso na Educar para Crescer da Editora Abril, site que ensina a fazer cordel.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Poema | C49-150 Pequena louvação à Chamego Medonho | Cordel

(Tradicional e Moderna com fogueira e foguetão)

2011........................................

Sábado passado, dia 04, entre espera e forró, a despeito de outros eventos havidos e anunciados, ocorreu no CAOB de Esperança a abertura extra-oficial do São João da cidade. Com a presença do prefeito Nóbson Pedro de Almeida - Nobinho, empresários, imprensa, ativistas culturais e juventude festeira, a quadrilha Chamego Medonho apresentou coreografia, figurino e tema para as comemorações juninas deste ano.

Com uma apresentação impecável, figurino bastante representativo, a quadrilha representará Esperança em diversas cidades, com destaque para Campina Grande. Como tem sido sua marca, abre a apresentação com Literatura de Cordel, há uma pequena pausa para a maioria dos brincantes com um Casamento Matuto e, destaque-se aqui que o conjunto da obra merece nosso aplauso. 

Na temática, o Balão está representado por tons de prata e azul céu; a Fogueira, por vermelho e laranja; o casal "Chamego", em lilás; rei e rainha do milho em verde e amarelo e, como se podia esperar, noivos em branco e prata. Tudo com a plasticidade e o rigor que vem se consolidando com aquela turma de jovens talentos de Esperança. Isso tudo veio confirmar minhas expectativas. Veja abaixo, minha...

................................................
...
31MAR Uma homenagem a uma turma de talento e dedicação.
AUTOR&TRATO: Evaldo Pedro da Costa Brasil.


Humor | Comissão em Boqueirão | MTIA*

2020........................................ ... SD Furando a pandemia, uma comissão de representantes do grupo esteve em Boqueirão, conferi...